Avaliação de disponibilidade hídrica

A Avaliação de Disponibilidade Hídrica compreende estudos de viabilidade técnica e disponibilidade econômica, legal e ecológica de fontes de água, incluindo a avaliação de alternativas de implantação de futuras captações.

O escopo macro da Avaliação de Disponibilidade Hídrica inclui:

  • avaliação de potencialidades (qualidade e quantidade);

  • avaliação de ameaças;

  • avaliação de matriz hídrica;

  • avaliação de outorgas.

Os estudos de disponibilidade hídrica são de importância estratégica para os usuários de água, permitindo estimar quantidades e qualidade das alternativas locais de água, bem como identificando possíveis vantagens e ameaças à utilização do recurso hídrico.

Na Avaliação de Disponibilidade Hídrica são realizados levantamentos de dados regionais e locais de elementos que influenciam, direta ou indiretamente, na qualidade e quantidade de uma fonte de água. São trabalhadas informações relevantes publicamente disponíveis ou aqueles que o interessado tenha disponíveis de forma organizada. A compilação, análise e interpretação destes dados possibilita gerar os produtos descritos abaixo:

  • Avaliação regional da hidrogeologia;

  • Mapa simplificado da Bacia Hidrográfica indicando os principais usuários das fontes de águae potenciais fontes alternativas de água, superficiais ou subterrâneas;

  • Balanço hídrico simplificado da micro-bacia;

  • Mapa básico do uso do solo nas áreas teóricas de influência dos poços de água subterrânea;

  • Identificação de áreas de recarga e das zonas de proteção e de fontes de água subterrânea;

  • Identificação das vulnerabilidades à qualidade e quantidade da água dentro da zona de proteção e recarga;

  • Identificação de práticas do uso do solo e de contaminantes potenciais associados a essas práticas dentro da zona de contribuição da fonte;

  • Avaliação do grau das vulnerabilidades identificadas;

  • Identificação e compreensão das normas e das agências regulatórias que influenciam a disponibilidade e gestão da água, bem como das vulnerabilidades associadas;

  • Identificação das partes interessadas no uso e manejo da água local, que possam interferir nas condições de uso da água na bacia hidrográfica.

REFERÊNCIAS:

DECISÃO DE DIRETORIA Nº 103/2007/C/E, de 22 de junho de 2007 - CETESB (COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO)

PROCEDIMENTO PARA GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS

http://cetesb.sp.gov.br/areas-contaminadas/wp-content/uploads/sites/45/2015/07/DD-103-07-C-E-Procedimento-para-Gerenciamento-de-%C3%81reas-Contaminadas.pdf

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS DA CETESB

http://areascontaminadas.cetesb.sp.gov.br/manual-de-gerenciamento/


Biotita Hidrogeologia e Meio Ambiente Ltda
Rua Paulo Orozimbo, 1100 - 41 - Aclimação
CEP 01535-001 - São Paulo - SP/Brasil
Tel:(11)2639-4054 (11)97300-2002